APP VE
Até 2027

Governo promete investir 50 milhões de dólares em doutoramentos

O Governo prevê investir, até 2027, 50 milhões de dólares para potenciar o Programa Nacional de Formação de Docentes ao Grau de Doutoramento.

Governo promete investir 50 milhões de dólares em doutoramentos

Segundo a ministra do Ensino Superior Ciência e Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Sambo, o investimento prevê a formação de 140 doutores e o apetrechamento de Centros de Investigação Pública, nas áreas da agricultura e pescas, telecomunicações e tecnologias de informação, indústria, petróleo, gás e recursos minerais.

Contempla ainda a compra de equipamentos para centros de pesquisa nas áreas de saúde, recursos hídricos, bem como energia e ambiente, precisou a governante, terça-feira, no acto de abertura da 6.ª Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia, que decorre até amanhã, 14.

O Programa Nacional de Formação de Docentes ao Grau de Doutoramento visa o fortalecimento do ecossistema da ciência, tecnologia e inovação no país.

De acordo com a ministra, após a formação, serão constituidas equipas de investigação e capacitados técnicos de apoio, bem como apetrechados os laboratórios do Instituto do Ensino Superior (IES) e de centros de investigação públicos, para permitir a realização de investigação científica.

Anunciou, por outro lado, que no âmbito do Projecto de Desenvolvimento de Ciência e Tecnologia (PDCT) serão financiadas 155 bolsas de estudo de pós-graduação, para mestrados, doutoramentos e pós-doutoramentos.

Paa tal, disse ser necessário trabalhar para uma melhor organização e estruturação das actividades de investigação científica, particularmente no IES, para que seja efectiva e produza resultados relevantes, capazes de agregar valor, tanto nos processos de ensino e aprendizagem, como na cadeia de produção nacional.

Para a sua concretização, o seu pelouro, através do Centro Nacional de Investigação Científica (CNIC), assinou, em Março deste ano, um Protocolo de Cooperação com a Universidade de Lisboa.

O financiamento de projectos de investigação científica permitirá a compra de equipamentos para reforçar a infra-estrutura laboratorial das Instituições de Ensino Superior (IES).

Ainda durante a Conferência foi aberta a 1.ª edição da Feira de Ideias, Invenções, Inovação e Empreendedorismo de Base Tecnológica (FIEBAT), com o objectivo de acolher essencialmente as criações feitas nos IES e por outros actores, desde que se vislumbre numa verdadeira ligação com a investigação científica e com as empresas

Participam do certame 30 expositores de diversas instituições acadêmicas nacionais.