ANGOLA GROWING
Suely de Melo

Suely de Melo

Esta semana, o ‘Campeão da Paz’ respondeu com um redondo NÃO ao convite do presidente ucraniano, para participar na Cimeira sobre a Paz na Ucrânia, prevista para os dias 15 e 16 de Junho. O “viajador compulsivo”, como já muitos lhe chamam, alegou “razões de calendário”, sem, no entanto, dar qualquer detalhe que justifique a sua ausência. É deveras estranho tendo em conta o registo histórico e o aparente prazer de João Lourenço em somar horas de voo, bem como em estar presente em actividades onde estarão alguns dos principais líderes da política internacional, como certamente vai acontecer na Suíça. Mas, afinal de contas, que compromisso inadiável e de carácter secreto impedirá João Lourenço de levar ao Ocidente a sua ‘expertise’ na mediação de conflitos que lhe granjeou o título de ‘Campeão da Paz’?

23 May. 2024

“E o povo, pá?

É difícil não chegar à conclusão que (como dizem as crianças) o Presidente da República não “se cortou skimini” com os angolanos. O que lhe terão feito esses pobres sofredores, não se sabe. O que se sabe é o que está à vista de todos.

 

No habitual exercício de “toma lá, dá cá”, depois de ter aberto os cordões à bolsa para sacar míseros 30 mil kwanzas para os funcionários do regime geral da função pública, eis que três dias depois o preço do gasóleo sobe quase 50%.

 

Vezes sem conta, cá na Essencial e em outros fóruns, muito boa gente, entendida na matéria, enumerou o que falta para que se alavanque o turismo. Mas, parafraseando a empresária Filomena Oliveira, “eles são mesmo surdos”.

 

Contra todas as expectativas de acompanhamento do século do conhecimento, da informação, da inovação, continuamos a regredir. Continuamos a ser impedidos de avançar, de ter tempo, disponibilidade e condições para ganhar habilidades e desenvolvê-las. Isto porque somos obrigados dia sim, dia sim também a mantermo-nos presos em discussões estéreis. O partido-Estado fez um bom trabalho de casa ao longo destes quase 50 anos e com maestria aprisionou as instituições, pessoas e suas mentalidades, que cometem atrocidades imbuídos no espírito de que é o certo a ser feito.