CNE
António  Vieira

António Vieira

Ex-director da Cobalt Angola

Quando, em 2016, fui contactado por um grupo de investidores para os ajudar a desenvolver campos de gás não aproveitados (e como tal abandonados) no nosso país, os campos NAG, pensei que seria de interesse maior para a Sonangol, para o Governo, enfim, para todos nós.

 

Há uns tempos atrás, numa das minhas viagens por lados diferentes do mundo, dei comigo a tentar entender o enriquecimento dos multimilionários. Não que eu esteja preocupado em ser um deles, porque não estou, mas porque aqui, na nossa n´guimbye, vai havendo alguns.  Alguns a quem o ‘Mia Couto’ chamou um dia de endinheirados, pois, segundo ele, são exactamente isso.

Embora novidade para os mwangolés, estamos, neste momento, nesta mesma geração que envelhecida e ultrapassada continua a estrebuchar nos corredores do poder, a habituarmo-nos a competir pelo direito de governar o país.

06 Apr. 2022

Bode expiatório

Talvez porque vivemos no país onde mais ou menos oficiosamente “o cabrito come onde está amarrado” tenhamos encontrado agora um cabrito velho. Um grand’a bode: o nosso “bode expiatório”. Tão grande que até está avaliado em cinco mil milhões.

Há alturas em que damos connosco a dizer que certas perguntas valem milhões. Não é este o caso. Pelas regras do mercado, esta pergunta só valeria milhões se eu fosse o único a fazê-la. Neste caso, o que deve valer milhões é a resposta. E agora, Sr. General, é caso para se perguntar: “vamos fazer como”?