Suely de Melo

Suely de Melo

23 May. 2024

“E o povo, pá?

É difícil não chegar à conclusão que (como dizem as crianças) o Presidente da República não “se cortou skimini” com os angolanos. O que lhe terão feito esses pobres sofredores, não se sabe. O que se sabe é o que está à vista de todos.

 

No habitual exercício de “toma lá, dá cá”, depois de ter aberto os cordões à bolsa para sacar míseros 30 mil kwanzas para os funcionários do regime geral da função pública, eis que três dias depois o preço do gasóleo sobe quase 50%.

 

Vezes sem conta, cá na Essencial e em outros fóruns, muito boa gente, entendida na matéria, enumerou o que falta para que se alavanque o turismo. Mas, parafraseando a empresária Filomena Oliveira, “eles são mesmo surdos”.

 

Contra todas as expectativas de acompanhamento do século do conhecimento, da informação, da inovação, continuamos a regredir. Continuamos a ser impedidos de avançar, de ter tempo, disponibilidade e condições para ganhar habilidades e desenvolvê-las. Isto porque somos obrigados dia sim, dia sim também a mantermo-nos presos em discussões estéreis. O partido-Estado fez um bom trabalho de casa ao longo destes quase 50 anos e com maestria aprisionou as instituições, pessoas e suas mentalidades, que cometem atrocidades imbuídos no espírito de que é o certo a ser feito.