APP VE
Fórum de empreendedorismo feminino

Mulheres incentivam outras a apostar a empreender

EMPREENDEDORISMO. Com o lema Empodera uma mulher, transforma Angola mais de cem mulheres reuniram-se para trocar experiências e estimular o surgimentos de novas empreendedoras.

Mulheres incentivam outras a apostar a empreender

A semana passada, o Clube das Empresárias Angola e a Acelera Angola realizaram o fórum de empreendedorismo feminino, onde as empreendedoras, entre outras coisas, estudaram possíveis parcerias e falaram da dificuldade de iniciar negócio em Angola. 

Jandira Miranda que actua nas áreas da saúde e educação é das que confessa ter enfrentado inúmeras dificuldades, mas, acrescenta, o seu negócio está em crescimento e como mulher acredita com o empenho as coisas podem melhorar. “As derrotas e quedas leva-nos ao crescimento”.

Por seu turno, há 20 anos a empreender no ramo de venda de bebidas, Filomena Francisco, 53 anos, revela que após várias tentativas de conseguir empregos darem errado, decidiu então investir no seu próprio negócio na comercialização de bebidas a retalho e a grosso no quintal da sua residência no bairro Benfica, a sul de Luanda, uma vez que não possuía um estabelecimento comercial. 

Com a expansão do negócio, constituiu a sua empresa que já empregando 23 funcionários e deseja expandir o negócio em outras localidades. Estima facturar, anualmente, entre 150 a 200 milhões de kwanzas. Filomena Francisco assegura que satisfeita e fortalecida em aumentar mais conhecimento sobre o mundo do negócio e parabenizou a organização por esta iniciativa. “ Conheci várias pessoas e fiz novas parcerias comerciais”. 

Cláudia Carvalho acredita no sucesso das mulheres no mundo do negócio e assegura que nos dias actuais se torna mais fácil em Angola ser empreendedora. Acabada de ser despedida do emprego, viu a situação como uma oportunidade e acabou apostar na organização profissional, ajudando as pessoas a melhorar o seu estilo de vida. A empreendedora sublinha que as dificuldades fazem parte de qualquer negócio e aconselha pessoas “nunca desistir, mas persistir”.  

Na sua apresentação, Eunice de Carvalho, directora-geral para assuntos corporativos da Unitel, destaca que a presença de mulheres no mercado de trabalho destaca o desenvolvimento para a administração de equipas e empresas modernas. A responsável sublinha que diante das dificuldades o empreendedorismo feminino é catalisador de mudanças e conquista social.

DIA DO EMPREENDEDOR

José Carlos, CEO da Acelera Angola, conta que as mulheres nos próximos tempos terão papel mais relevantes em negócios e entende que o empreendedorismo deve ser mais acelerado e as mulheres precisam de mais espaços e os negócios dirigidos por elas, a probabilidade de ter sucesso é maior do que os homens. O interlocutor defende a criação do dia do empreendedor e uma Alta Autoridade do Empreendedorismo. 

Já Diandra Vaal Neto, fundadora do Clube das Empresárias de Angola conta que já foi mais difícil começar um negócio em Angola e acredita que toda empreendedora deve ser um eterno aprendiz, e aceitar que os mercados estão em constante evolução e nunca desistir. Igualmente acrescenta que por trás de toda mulher bem-sucedida, esconde-se uma mente empreendedora. “O momento actual do país é favorável para empreender em qualquer actividade comercial”.