Girabola Zap
Banco BAI
NAS ÁREAS DA MÚSICA E ARTES CÉNICAS

Procultura abre candidaturas para bolsas de estudos

FORMAÇÃO PÓS-GRADUADA. Candidaturas para bolsas de estudo em artes cénicas e música decorrem até 1 de Julho. Disponíveis 27 vagas para licenciaturas e mestrados. Iniciativa visa beneficiar jovens dos Palop e Timor-Leste

Procultura abre candidaturas para bolsas de estudos

 

Com candidaturas abertas até 1 de Julho, as bolsas destinam-se a estudantes de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, aí efectivamente residentes, que sejam detentores de um certificado de habilitações ao nível de licenciatura (para candidatos a mestrado) e ensino secundário (para licenciatura).

Em Angola, para qualquer um dos dois casos; mestrado ou licenciatura, o formulário de candidaturas e regulamento a estão disponíveis em:  https://www.instituto-camoes.pt/activity/o-que-fazemos/bolsas estudo/bolsas-procultura-palop-tl-ueé feita via e-mail  (procultura@camoes.mne.pt) ou presencialmente, junto da equipa Procultura, no Camões/Centro Cultural Português ou na sede da Embaixada Portuguesa, em Luanda.

O projecto tem disponíveis 27 bolsas de estudo, para a frequência de cursos em instituições de ensino superior, nas áreas da música e artes cénicas. 

Regulamento do concurso

A bolsa de mestrado é de 710 euros mensais, acrescidos de um subsídio único de instalação de 275 euros e de subsídios anuais máximos para propinas de até 1.100 euros. Já a bolsa de licenciatura é de 380 euros mensais, acrescidos de um complemento de 50 euros, caso o bolseiro não fique alojado em residência universitária, de um subsídio único de instalação de 275 euros, assim como de subsídios anuais de 165 euros e de propinas de até 1.100.

As candidaturas serão avaliadas por um júri que deverá integrar três elementos: um representante das autoridades nacionais (da Cultura ou Educação), personalidade independente com actividade diferenciada nos sectores da música ou artes cénicas, o assistente técnico do Procultura no país ou quem o substitua.

Para avaliação, contará a classificação média global dos candidatos nos últimos três anos do nível anterior ao qual se candidata (50%). Os outros 50% resultarão da apreciação do júri sobre a relevância da candidatura para desenvolvimento dos sectores da música e artes cénicas no país de residência dos candidatos, sendo considerados a carta de motivação (5%), o curso que pretende (10%) e a possibilidade de inserção profissional (35%) ponderada por eventual carta de recomendação.

O regulamento do concurso determina que, além do formulário de candidatura totalmente preenchido e assinado, os concorrentes entreguem uma cópia do BI ou Passaporte, cópia do certificado de habilitações académicas, com discriminação das disciplinas e das respectivas classificações; declaração comprovativa de que o/a candidato/a é nacional e residente no país de origem há, pelo menos, três anos consecutivos;  curriculum vitae, carta de motivação, entre outros.

Orçado em 19 milhões

Procultura é uma acção do Programa Indicativo Multianual Palop – Timor-Leste e União Europeia, financiada pela União Europeia, co-financiada e gerida pelo Camões, IP e pela Fundação Calouste Gulbenkian.

O projecto, com um orçamento de 19 milhões de euros, tem como objectivo contribuir para a criação de emprego na economia cultural, criativa, bem como favorecer a contemporaneidade e inovação, por via de acesso à educação de referência e mobilidade internacional de criadores e operadores dos Palop e de Timor-Leste.