VDS

A Resiliência do Sector Segurador à Pandemia Covid-19

29 Sep. 2021 Opinião
A Resiliência do Sector Segurador à  Pandemia Covid-19
D.R

No início do mês de Agosto, a Agência Angolana de Regulação e Supervisão de Seguros (Arseg) apresentou os principais indicadores do sector segurador relativos ao exercício de 2020, que, como se sabe, ficou inevitavelmente marcado pela pandemia causada pelo novo coronavírus.

Apesar das restrições à circulação de pessoas, bens e serviços e as políticas de contenção e prevenção impactaram fortemente a economia mundial e a economia nacional, os números apresentados demonstram que o impacto da pandemia no sector segurador não foi tão gravoso como se podia prever.

Um dos principais indicadores do sector segurador continua a ser os prémios emitidos e no ano de 2020assistiu-se a um aumento de 23% face ao exercício de 2019, ascendendo assim a cerca de 224 mil milhões de kwanzas, sendo que o principal ramo continua a ser Acidentes, Doença e Viagem, representando com cerca de 53% dos prémios do sector à semelhança de anos anteriores.

Em termos de sinistralidade no exercício de 2020, verificou-se um rácio global de 41%, o que representa uma melhoria de 1 p.p. face ao período homólogo, é importante referir que, para esta melhoria, muito contribuiu a diminuição da sinistralidade do ramo de Acidentes, Doença e Viagem de 61% em 2019 para cerca de 50% no exercício de 2020. Esta diminuição do rácio de sinistralidade teve também uma consequência positiva no rácio combinado que apresentou, em 2020, um valor de 75%, uma melhoria de 2 p.p. face ao período homólogo.

Apesar de os resultados técnicos terem diminuído face ao exercício anterior em cerca de 47%, estes continuam positivos, o que demonstra que o sector se apresenta resiliente mesmo num contexto pandémico.

Um dos indicadores mais importantes no mercado segurador para se conseguir saber a robustez e transmitir segurança aos stakeholders é a margem de solvência que, para o exercício de 2020, se situou nos 101%, em termos médios, o que significa que continua acima do que é legalmente exigível.

Com os dados apresentados pela Arseg, podemos verificar que o sector segurador teve uma grande resiliência à pandemia covid-19, pois, em termos gerais, viu a carteira de prémios aumentar, o seu rácio de sinistralidade diminuir, assim como o rácio combinado e o seu nível de solvência contínua situarem-se acima dos 100%, o que demonstra uma solidez do sector que, mesmo num ano difícil como 2020, conseguiu continuar a apresentar indicadores bastante positivos.

Miguel  Guerreio

Miguel Guerreio

Manager EY Assurance Financial Servises