SUBSCRIÇÃO
CRISE E CONCORRÊNCIA REDUZEM LUCROS

Grupo Yewhing vai investir em outros mercados africanos para equilibrar perdas em Angola

EXPANSÃO. Com mais de 20 anos a operar no país, grupo chinês detém nove empresas no mercado. Líder do grupo enumera as dificuldades de trabalhar em Angola, mas descarta abandonar o mercado.

Grupo Yewhing vai investir em outros mercados africanos para equilibrar perdas em Angola

 O grupo Yewhing, de capital chinês e detentor das lojas MDC, começa a expandir os espaços comerciais, a partir de 2023, para os mercados do RD Congo, Nigéria, Quénia e Costa do Marfim, de modo a contornar as baixas nos lucros causadas pela pandemia e pela concorrência de outros operadores chineses em Angola.

“Vamos investir fora de Angola porque já há muita concorrência e várias empresas chinesas com lojas a crescer e os nossos lucros estão cada vez mais baixos. Mas não vamos deixar o mercado porque nós estamos aqui há mais de 20 anos e aqui é a nossa casa, não podemos abandonar”, afirma Jun Jin, presidente do conselho de administração do grupo.

Para ler o artigo completo no Jornal em PDF, faça já a sua assinatura, clicando em ‘Assine já’ no canto superior direito deste site.