APP VE
325 ESTÃO EM LUANDA

Angola tem perto de mil postos de combustível

Angola dispõe de 968 bombas de combustível funcionais, com quase um terço dos postos localizados em Luanda, segundo um relatório da Direcção de Mercados e Promoção da Comercialização do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleo.

Angola tem perto de mil postos de combustível

 

De acordo com o documento, relativo a Setembro, Luanda conta 132 postos de abastecimento de raiz e 220 contentorizados, num total de 352 unidades.

Seguem-se Benguela, com 110 postos; Huíla, com 76; Huambo, com 68 e Zaire, com 50.

Com menor densidade está o Kuando-Kubango, que conta apenas com 11 bombas. O Kwanza-Norte dispõe de 12 postos, a Lunda-Sul de 13 e o Bengo de 14 unidades.

Cunene tem 16 e o Uíge 18 locais de abastecimento.

No total de 968 postos, 479 são de construção de raiz e 489 contentorizados, sendo a Sonangol a maior distribuidora com 393 (309+84) postos.

O grupo de pequenos investidores no segmento da distribuição designados por "bandeira branca" detém 444 unidades, das quais 72 de raiz e 372 contentorizadas.

A Pumangol soma 78 em todo o país, todos de raiz.

O documento dá ainda conta da capacidade de armazenamento de 32.0746 metros cúbicos de combustíveis em terra contra 34.0170 metros cúbicos flutuante (no mar).

A 8 de Novembro, o ministro dos Petróleos visitou o Terminal de Combustíveis da Pumangol, recomendando o uso da capacidade instalada naquelas instalações para permitir aumentar a capacidade de armazenamento de combustíveis em terra.

Na ocasião, Diamantino Azevedo considerou a "utilização ociosa" e advertiu para a possibilidade de uma requisição civil do terminal, caso a companhia não eleve os níveis de utilização daquelas instalações até 02 de abril de 2020.

O Plano de Desenvolvimento Nacional para o Sector de Recursos Minerais e Petróleos (Fileira do Petróleo e Gás) estipula que a capacidade de armazenagem de combustíveis e lubrificantes em terra deve aumentar em pelo menos 67% até 2022, face a 2016.

Para atingir o mesmo objectivo, foi firmado a 7 de Novembro um acordo de cooperação entre a Sonangol e o xeque Ahmed Al Marktoum, do Dubai, para a conclusão da primeira fase do Terminal Oceânico da Barra do Dande, que deverá ter uma capacidade de armazenamento de até 641.500 metros cúbicos de combustíveis.