Exercício de 2020

Resultado líquido da Sistec aumenta mais de 400%

02 Jun. 2021 Empresas & Negócios

CONTAS. Empresa acautela que os números estão sujeitos a correcções da autoridade tributária, mas descarta impacto “significativo” dos eventuais ajustes nas demonstrações financeiras. Prestação de serviços foi o que mais contribuiu para o lucro.

Resultado líquido da Sistec aumenta mais de 400%

 

O resultado líquido da Sistec cresceu, em 2020, mais de 400%, para 788 milhões de kwanzas, face aos 150 milhões do exercício anterior, indica o relatório e contas da empresa consultado pelo VALOR.

Para o aumento considerável do lucro contou, sobretudo, o desempenho da prestação de serviços que saiu dos 522,4 milhões para os 4,470 mil milhões de kwanzas, um crescimento de 755%. Também terá concorrido positivamente para o lucro a redução de cerca de 8% dos custos com as mercadorias vendidas, passando de 3,102 para 2,860 mil milhões de kwanzas.

No período, as vendas globais da empresa recuaram, entretanto, cerca de 32%, saindo de pouco mais de 6,8 mil milhões de kwanzas para 4,621 mil milhões de kwanzas.

Apesar de admitir a possibilidade de alteração dos indicadores, face “às correcções resultantes de revisões/inspecções por parte das autoridades fiscais”, a administração da Sistec acredita que estas alterações não terão “efeito significativo” nas demonstrações financeiras a 31 de Dezembro de 2020. “A empresa encontra-se sujeita à tributação em sede do regime geral do imposto industrial. De acordo com a legislação em vigor, as declarações fiscais estão sujeitas à revisão e correcção por parte das autoridades fiscais durante um período de cinco anos, em face, as declarações fiscais da empresa dos anos de 2016 a 2020 poderão ainda ser sujeitas a revisão”, acautela. 

INVESTIR APENAS NO NECESSÁRIO

Perspectivando que 2021 será ainda um ano de “incerteza”, a administração antecipa que a empresa terá de operar num ambiente com “condicionantes” que exigem “uma gestão prudente dos recursos”, focada em investimentos “estritamente necessários”.

No caso específico do retalho, a empresas admite manter a renovação das lojas e lançar a loja online, “que permitirá vender produtos e fidelizar novos clientes pela conveniência criada”.

Para o segmento ‘corporate’, a empresa considera necessário “manter satisfeitos os clientes já fidelizados”, mas calcula que “esta área irá desenvolver novos serviços e produtos para segmentos de mercado como o teletrabalho, a cibersegurança, consultoria tecnológica e a formação à distância, que cresceram devido ao distanciamento social”.

X