Pandemia não travou movimentação nos portos

Importações marítimas subiram 30% em 2020

COMÉRCIO INTERNACIONAL. Importação de arroz, trigo e carnes congeladas registou baixa e a China foi o mercado preferencial do país.

Importações marítimas  subiram 30% em 2020

Apesar da pandemia da covid-19 que afecta a economia mundial desde o ano passado, as importações marítimas angolanas registaram um aumento de cerca de 30% em 2020, face ao exercício anterior.

No período, foram transportadas para Angola mais de 7,4 milhões de toneladas de carga diversa, com os sulfatos, alúmenes e o trigo com centeio a destacarem-se entre os produtos mais comprados.

Os dados fazem parte do boletim anual de 2020 do Conselho Nacional de Carregadores (CNC), a que o VALOR teve acesso e que indica a redução da importação de arroz, farinha de trigo e carnes congeladas de aves.

Na nota de abertura do relatório, o director geral do CNC, Catarino Pereira, órgão que foi extinto recentemente e substituído pela Agência Reguladora de Certificação de Carga e Logística de Angola (ARCCLA), explica que, apesar das limitações impostas pela pandemia, “o sector de transporte de mercadorias por via marítima conseguiu manter-se a níveis de operação aceitáveis, o que enaltece a sua resiliência e importância estratégica”.

Catarino Pereira ressalta ainda que, globalmente, as operações de transporte de mercadorias continuam caracterizadas por um “circuito mais lento comparativamente àquelas ocorridas nas recessões anteriores, fruto de incertezas e fragilidades derivadas do contexto económico”. Mas que, apesar da recessão económica mundial, “os fluxos de carga importada superaram os números de 2019”. 

CHINA FOI

O PRINCIPAL MERCADO

A China foi o principal mercado, durante o ano passado, procurado por Angola. Foram 848 mil toneladas deste país, o que representa cerca de 11%  de carga importada. A Índia foi o segundo mercado com 9% e o Brasil o terceiro com 8%. Tailândia e Portugal ficaram com 6%, na quarta e quinta posições. Esses cinco países foram responsáveis por 35% da origem de carga.

PORTO DE LUANDA LIDERA

O Porto de Luanda continua a ser o responsável pelo maior fluxo de carga, tendo registado 79%  de toda a mercadoria que entrou no país via marítima. O Porto do Lobito foi o segundo com maior movimento, com 12%. O do Namibe teve 4%, o de Cabinda 3% e o Porto do Soyo reclamou apenas 1% das mercadorias compradas.

Os portos de Luanda e do Soyo foram os únicos que receberam mais carga no ano passado do que em 2019. Já a Vanmard foi a empresa com maior volume de carga certificada para importação. Foram 10% de toda a carga. A Angolissar, as Grandes Moagens de Angola e a empresa Carrinhos Empreendimentos fazem parte da lista dos que mais importaram neste ano.

CAIXA

10 Produtos mais importados em 2020

1-    Sulfato, alúmenes, peroxossulfatos (persulfatos)

2-    Trigo e mistura de trigo com centeio (Méteil)

3-    Arroz

4-    Farinhas de trigo ou de mistura de trigo com centeio (Méteil)

5-    Açúcares de cana ou de beterraba  e sacarose no estado sólido.

6-    Ladrilhos e placas (lajes) para pavimentação

7-    Carnes e miudezas, refrigeradas ou congeladas, das aves

8-    Óleo de palma e respectivas fracções, mesmo refinados

9-    Grumos, sêmola e pellets, de cereais

10-  Artigos de matérias têxteis e artigo de uso semelhante