Africell esclarece operação no Uganda

14 Sep. 2021 Empresas & Negócios

A Africell informou na terça-feira que estava a encerrar as suas operações no Uganda, onde enfrentou forte concorrência por parte das unidades locais das empresas de telecomunicações MTNMTNJ.J eBhartiAirtel BRTI.NS.

Africell esclarece operação no Uganda

A operar na República Democrática do Congo, Gâmbia e Serra Leoa, a Africell entrou no mercado do Uganda em 2014, após adquirir as operações locais da francesa Orange.

Mas tem lutado para se expandir contra a MTN da África do Sul, que tem o maior número de assinantes no país da África Oriental, com mais de dez milhões, e a BhartiAirtel da Índia.

"Africell ... encerrará as operações no Uganda a 7 de Outubro de 2021 ", afirmou a empresa em comunicado, acrescentando que a sua decisão foi" baseada numa avaliação cuidadosa das perspectivas comerciais a longo prazo para o negócio "e como o Uganda se encaixava na sua estratégia para impulsionar a transformação digital.

Africell tinha 2,3 milhões de assinantes no Uganda, de acordo com o site da empresa.

Em todo o continente esta possui 12 milhões de assinantes e planeia lançar operações em Angola até ao final do ano em curso, disse Sam Williams, o director de comunicações da empresa à Reuters.

A notícia deve beneficiar a MTN, que se prepara para um IPO no qual pretende vender 20% das suas acções ao público.

O governo, no ano passado, determinou que todas as empresas de telecomunicações do país listassem pelo menos 20% das suas acções, como uma forma de permitir que os seus cidadãos compartilhassem uma fatia dos lucros.

A desaceleração do crescimento nos últimos anos, exacerbada pelos efeitos da COVID-19, reduziu as perspectivas económicas do país da África Oriental e levou a um êxodo permanente de empresas estrangeiras, incluindo redes de supermercados da África do Sul e do vizinho Quénia.

X