APP VE
COM VISTA A ESCLARECER UTILIDADE DO PROCESSO

Banco central leva a debate vantagens das cartas de crédito

CONCERTAÇÃO. Prelectores nacionais e internacionais e players do sector do comércio vão travar debate sobre mecanismo de compras internacionais através de cartas de crédito. Importância, vantagens e o compliance das operações integram lista de temas a serem debatidos.

 

Banco central leva a debate vantagens das cartas de crédito

O Banco Nacional de Angola (BNA) vai juntar, na próxima quarta-feira, 27, especialistas em matérias de comércio internacional e vários operadores do sector para discutir vantagens e importância do método de pagamento de compras por cartas de crédito, anunciou o organismo em nota enviada ao VALOR.

De acordo com o banco centralo encontro visa “realçar as melhores práticas recomendadas pelo comércio internacional, bem como colher o ponto de vista dos mais diversos intervenientes no processo de importação de mercadoria, por via de cartas de crédito”.

Subordinado ao tema ‘Comércio Internacional ao Abrigo de Cartas de Crédito’, o evento terá lugar no auditório Saydi Mingas do Museu da Moeda, afecto àquele órgão regulador da política monetária e cambial. E abordará, entre outros, “essencialmente a importância da utilização das cartas de crédito, como método de pagamento no comércio internacional, as suas vantagens, sobretudo do ponto de vista de compliance e previsibilidade na realização de pagamentos, bem como eventuais constrangimentos”.

Este tema será apresentado em dois painéis, com intervenções de prelectores nacionais e internacionais ligados ao comércio internacional, à banca nacional e internacional, bem como os demais sectores do Estado e da Academia. O banco central sublinha que iniciativa - a conferência sobre comércio internacional ao abrigo de Cartas de Crédito - é a segunda do ciclo anual de conferências do Banco Nacional de Angola, tendo iniciado em Janeiro com o tema “Financiamento ao sector privado”.

A conferência sobre o financiamento ao sector privado foi promovida, segundo o próprio banco central, “no âmbito do conjunto de medidas estabelecidas para a retoma do crescimento económico sustentado do país”, pelo que contou com a presença do actual ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, a quem coube o discurso de abertura.

Acorreram ao evento quadros do sector bancário e donos de grandes grupos empresariais nacionais, que, no certame, falaram sobre “experiências sobre a gestão do crédito malparado, constrangimentos e soluções do financiamento ao sector privado em Angola e financiamento à agricultura e à agro-indústria.