Impostas em 2015

Biden levanta sanções impostas ao Burundi

22 Nov. 2021 Mundo

Reconhecendo os esforços que as autoridades do Burundi têm feito a favor da democracia interna, os EUA anunciaram o levantamento das sanções impostas em 2015

Biden levanta sanções impostas ao Burundi

Os Estados Unidos levantaram, domingo ontem, as sanções que haviam  sido impostas em 2015 ao Burundi. Numa ordem executiva, divulgada pela CNN, o Presidente norte-americano, Joe Biden, disse que a situação que tinha justificado as sanções, incluindo "mortes e violência contra civis" e "repressão política", tinha sido "significativamente alterada pelos acontecimentos do ano passado".


Joe Biden referia-se "à transferência de poder após as eleições de 2020, a uma redução significativa da violência e às reformas iniciadas pelo Presidente Ndayishimiye em muitos sectores".

Em 2015, o desejo do então Presidente, Pierre Nkurunziza, de ser eleito para um terceiro mandato desencadeou uma crise profunda que matou 1.200 pessoas e forçou cerca de 400 mil civis ao exílio. Washington impôs então sanções específicas contra oito burundeses, altos funcionários, incluindo o número dois do regime, mas também um opositor acusado de apoiar uma revolta.

Pierre Nkurunziza, que permaneceu no poder até Maio de 2020, morreu algumas semanas após a eleição de Evariste Ndayishimiye, o seu sucessor designado. A eleição de Ndayishimiye tinha suscitado esperanças de abertura no país, após anos marcados por execuções sumárias, desaparecimentos e detenções arbitrárias.

 

X