Girabola Zap
Banco BAI
EM RESULTADO DA RECAPITALIZAÇÃO

BPC prevê regressar aos créditos depois de Abril

24 Mar. 2020 Mercado & Finanças

BANCA. Instituição não concede crédito desde 2016. Em 2018 a administração prometeu abertura para breve, mas apenas reiniciou o BPC Salário que, entretanto, regista reclamações por parte dos clientes. 

BPC prevê regressar aos créditos depois de Abril

O Banco de Poupança e Crédito, BPC, estima voltar a conceder créditos depois de Abril, altura em que deve estar concretizado o processo de recapitalização da instituição, apurou o VALOR junto de fonte da administração.

“O processo está a ser concluído, a parte administrativa está totalmente terminada. Portanto, faltam alguns pormenores, mas até final de Abril o banco deve estar recapitalizado e logo depois, voltaremos a conceder créditos porque agora, sem a recapitalização, não é possível. A taxa de incumprimento do BPC é de cerca de 90%”, detalhou.

Em relação ao montante a receber do Estado, a fonte não confirma se será a totalidade dos 1,08 mil milhões de kwanzas que têm sido apresentados como a necessidade de recapitalização da instituição.

“Tudo vai depender da disponibilidade, mas gostaria de deixar a questão referente ao montante para o momento exacto o que lhe posso garantir é que o processo está concluído para que a recapitalização aconteça em Abril”, refere.

A maior instituição bancária publica suspendeu a concessão de todo tipo de créditos em 2016 por força do alto nível do crédito mal parado. Mas em Agosto de 2018 reabriu a concessão do crédito BPC Salário, produto que permite o adiantamento de 80% de um sálario para os clientes que sejam trabalhadores por conta de outrem e que tenham os ordenados domiciliados na instituição.

O VALOR apurou, no entanto, de clientes e operadores do banco que, mesmo em relação a esse produto, tem havido muitos incumprimentos, visto que muitos clientes, apesar de terem visto os seus créditos aprovados, há vários meses continuam à esperar do carregamento das respectivas contas.

“É verdade. Não sabemos se é por falta de fundo ou é problema técnico, mas a verdade é que temos muitos clientes com o processo aprovado a esperarem pelo carregamento”, confirmou o responsável de um balcão. Fonte da direcção de crédito considera, entretanto, tratar-se de uma informação que não corresponde com a verdade.

Em relação ao regresso da concessão dos créditos, não é a primeira vez que o banco promete, para um futuro breve. Fê-lo também em Abril de 2018. Na altura, era liderado por Alcides Safeca que deu a referida garantia, estimando que, naquele mês, a instituição seria recapitalizada com 180 mil milhões de kwanzas.

Crédito do BAD encalhado

Outro produto de crédito disponível no BPC é o correspondente à linha do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) que está aberto deste Agosto de 2018, apesar de ter sido anunciado há cerca de quatro anos com o valor total de 325 milhões de dólares. Deste valor, a instituição bancária africana já disponibilizou 120 milhões que constituem a primeira tranche. Este valor, entretanto, está intacto nos cofres do BPC.

Nenhum projecto ainda foi contemplado “por falta de viabilidade” dos mesmos, segundo justificação apresentada pelo banco em várias ocasiões. Versão, entretanto, também varias vezes negada pelos empresários.

Em Setembro de 2018, por exemplo, o secretário da Federação das Associações Empresariais de Luanda (FAEL), José Ganga, manifestou, ao VALOR, descontentamento por supostamente o BPC ter feito exigências contrárias às regras do financiador. Acusou então o banco de obrigar os empresários a fazerem um depósito correspondente a 20% do valor solicitado. Na altura, o BPC negou a acusação.