Girabola Zap
Banco BAI
EMBAIXADOR CHINÊS ADMITE

Coronavírus pode afectar trocas comerciais

COMÉRCIO. Diplomata chinês desconhece se o seu país está a receber apoio financeiro para combater o vírus, mas garante que Beijing tem dinheiro suficiente para contrariar a epidemia.

Coronavírus pode afectar trocas comerciais

O embaixador chinês em Luanda, Gong Tao, admite que o surto do coronavírus pode afectar negativamente as trocas comerciais chinesas, incluindo com Angola.

Dados recentes indicam que, de Janeiro a Setembro do ano passado, Angola enviou para a China produtos no valor de 17,8 mil milhões de dólares, ao passo que de Beijing importou bens no valor de 1,48 mil milhões de dólares. Quando vistas no plano da comunidade de Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), as trocas comerciais chinesas aumentam em 0,05% em relação ao mesmo período de 2018, para 108,9 mil milhões de dólares. Brasil e Angola figuram entre os principais parceiros.

Gong Tao sublinha que a “prioridade é travar o vírus”, para garantir a segurança das pessoas. “As relações económicas e comerciais vamos fazer e temos tempo para fazer no futuro, com base nas boas relações”, observa o diplomata.

Durante a conferência de imprensa realizada no consulado chinês, Gong Tao, que desconhece se o seu país está a receber apoio financeiro da comunidade internacional para combater o coronavírus, garante que Beijing tem “orçamento e materiais médicos suficientes” para fazer face à epidemia.

“Temos hoje uma grande capacidade e vamos produzir os fármacos de combate ao vírus o mais brevemente possível. Como disse, não domino muito sobre as ajudas financeiras, mas sei que a Organização Mundial da Saúde enviou técnicos para a cidade de Wuhan, o epicentro do coronavírus, para colaborar na assistência e investigação”, explica Gong Tao, referindo também haver governos e sociedades privadas que se estão a voluntariar para oferecer assistência.

Medidas de prevenção

O embaixador apela aos chineses em Angola a reduzirem as viagens para Beijing, além de sugerir o “isolamento voluntário” para os chineses que venham para Luanda. Gong Tao destacou as medidas de segurança tomadas por Angola, com a instalação de equipamentos e equipas de técnicos de saúde no aeroporto internacional 4 de Fevereiro, bem como em fronteiras terrestres, visando detectar e prevenir possíveis casos da doença.

Sobre o coronavírus

O coronavírus faz parte de uma vasta família de vírus que inclui os que causam a gripe comum, mas também a Síndrome Respiratória Aguda Severa - SARS. Os primeiros sintomas são febres altas e tosse, que podem agravar até causar pneumonia.

Desde que se deu o primeiro caso, pelo menos 350 pessoas morreram, e mais de 10 mil casos foram identificados. Além da China, também foram reportados casos de infecção pelo coronavírus em Macau, Hong Kong, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, França, Alemanha, Austrália e Canadá.