A TENDÊNCIA É ANTIGA MAIS GANHOU FORÇA NOS ÚLTIMOS MESES

Estrelas da NBA investem em start-ups  

24 Mar. 2021 Valor Económico Gestão

Desporto. Os superatletas cada vez mais saem do estereótipo do desportista que ganha só enquanto joga e constroem carteiras com portfólios de investimento diversificado que multiplicam as suas fontes de rendimento e lhes asseguram reformas ainda mais confortáveis.

Estrelas da NBA investem em start-ups   

Se antigamente os gigantes da NBA investiam em marcas de desporto, restaurantes e bebidas, ultimamente as tecnológicas de Silicon Valley estão no topo das atenções.

O investimento de estrelas da NBA em tecnológicas não é novo, em 2016 já se ouvia falar da tendência associada a nomes de estrelas como Kobe Bryant, Carmelo Anthony, André Iguodala, entre outros. No entanto, nos últimos dois meses sete atletas da NBA reforçaram ou iniciaram posições em tecnológicas de Silicon Valley. Entre os nomes mais sonantes estão Kevin Durant, James Harden, Russel Westbrook que se juntam a outros como Lebron James e Steph Curry.

Contam todos com o apoio de especialistas que os direcionam para os melhores investimentos e a proximidade de algumas equipas com a cidade tecnológica mais famosa do mundo e que viu nascer fenómenos como a Microsoft e a Apple, foi um factor decisivo que os expôs a um ambiente e a pessoas que os direccionaram para investimentos lucrativos em statups tecnológicas.

Kevin Durant por exemplo investiu numa aplicação de entregas de comida chamada Postmates que foi adquirida pela Uber no ano passado por 2.65 mil milhões de USD. Durant investiu desde a Postmates na aplicação Whoop que faz o registo de fitness, na Brigit de investimentos, noutra de leiloes e ainda na Therabody que desenvolveu a ferramenta de massagem Theragun, empresa que conta também com o investimento de James Harden e de Pau Gasol.

Os atletas citam a proximidade da reforma como um dos factores decisivos que os levam a investir em startups que facilmente geram lucros fabulosos. No entanto é o legado de estrelas como Michael Jordam e Magic Johnson que se tornaram referências empresariais depois da reforma, e que estabeleceram o exemplo a seguir.

Kyle Lowry, jogador dos Toronto Raptors, que conta 14 anos de liga, diz que o investimento de atletas afroamericanos tem também o objectivo de incentivar à diversidade no comando das empresas que vão crescer nas próximas décadas. “trata-se de criar riqueza geracional e quebrar barreiras sistémicas a afroamericanos”. 

X