CNE
CLIENTES FICARAM DOIS DIAS SEM COMUNICAÇÕES

Falta de manutenção provoca queda de sinal da Angola Telecom

01 Dec. 2021 Empresas & Negócios

TELECOMUNICAÇÕES. Empresa pública não deu qualquer esclarecimento. Fonte alerta que, caso o problema persista, as chamadas internacionais de todas redes nacionais (fixas e móveis) poderão estar comprometidas.

Falta de manutenção provoca queda de sinal da Angola Telecom
D.R

Angola Telecom registou um ‘apagão’ no sinal das chamadas telefónicas na última quinta e sexta-feira, deixando incomunicáveis e criando embaraços aos utilizadores da rede fixa. 

Fonte da empresa garante ao Valor Económico ter-se tratado de uma situação que acontece com alguma regularidade, devido ao envelhecimento dos softwares, combinado com a falta e ou atraso na manutenção, face às dívidas com os prestadores de serviço. “Passamos o final de semana a trabalhar e hoje (segunda-feira) já estamos a receber chamadas, mas ainda não conseguimos fazer”, detalhou a fonte, esclarecendo que, caso a situação se arraste, “um dia vai afectar o tráfico de trânsito e as chamadas internacionais das operadoras de telefonia móvel”.

Contactado, o responsável do gabinete de comunicação da Angola Telecom, Manuel César, disse inicialmente não estar a par da situação, mas, ao segundo contacto, escusou-se a prestar qualquer tipo de declarações sobre o assunto. 

Angola Telecom E.P conta actualmente com 51 lojas espalhadas em todo país. Luanda, com 10, é a província melhor servida. Malanje não tem nenhuma loja, enquanto o Cuando-Cubango, Cunene e a Lunda-Norte têm apenas uma cada uma. 

PRIVATIZAÇÃO PARA DEZEMBRO

O Ministério das Telecomunicações Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MINTTICS) procedeu à abertura do procedimento do concurso público internacional para a exploração e gestão da infra-estrutura de Transporte Nacional e Metropolitana da Empresa Angola Telecom-E. P. A fase durou um mês e 16 dias (de 14 de Setembro a 30 de Novembro) e a publicação dos resultados está prevista para o mês de Dezembro.

Com a abertura deste concurso internacional, inserido no despacho Presidencial nº 99/21 de 17 de Junho, o Governo diz pretender captar investimento e o know how do sector privado para a gestão.