APP VE
DIFICULDADE DE ACESSO ÀS DIVISAS

Hotéis bloqueados pelo Booking por falta de pagamentos Hotéis bloqueados pelo Booking por falta de pagamentos

HOTELARIA. AHRA tem negociado com os bancos e o BNA para ultrapassar a situação. Agências de viagens também registam os mesmos problemas para reservas com valores que ultrapassam os 500 euros.

Hotéis bloqueados pelo  Booking por falta de pagamentos  Hotéis bloqueados pelo Booking por falta de pagamentos

Grande parte dos hotéis angolanos tem registado dificuldades e até bloqueios nas plataformas internacionais de reservas de empreendimentos hoteleiros, principalmente no Booking por falta de pagamento resultante da dificuldade de transferir as divisas.

Para o secretário da Associação de Hotéis e Resorts de Angola (AHRA), Ramiro Barreira, a situação “coloca em risco” o turismo internacional e garante estar a trabalhar com as instituições bancárias para permitir as transferências e o pagamento dos atrasados. “Não vamos ter turismo internacional se as plataformas de reservas não estiverem a funcionar com as compensações devidas. Isso é importante. É como as companhias aéreas. As pessoas pagam em kwanzas e há necessidade de transferências dos dividendos”, refere.

Assim como os hotéis, as agências de viagens também têm registado várias dificuldades para os pagamentos nas plataformas internacionais. Segundo o secretário-geral da Associação das Agências de Viagens e Operadores Turísticos de Angola (Avota), Augusto Pedro, muitos dos associados, face às dificuldades, têm recorrido a parcerias com empreendimentos turísticos para fazerem reservas online e efectuarem os pagamentos mais tarde. “As nossas redes de pagamentos, como os cartões Visa, estão sempre com problemas. Muitas vezes não funcionam e outras apenas podemos tirar X ou Y”.

Augusto Pedro revela que, para driblar as dificuldades, as agências têm optado não pelas plataformas como o Booking, com vários hotéis para reservas, mas por dois ou três empreendimentos no estrangeiro com parcerias firmadas que permitem fazer reservas, sem restrições de pagamentos.

Chilas Santana, dono de uma agência de viagens, diz que a sua principal dificuldade tem sido fazer reservas que envolvam pagamentos de mais de uma semana com valores que ultrapassem os 500 euros. “Nesses casos, a opção passa sempre por arranjar alguém de confiança no estrangeiro que faça a reserva e depois nos envie o comprovativo de pagamento.”

Fora os constrangimentos de pagamentos no exterior, Chilas Santana declara que os agentes turísticos encontram internamente muito mais dificuldades. A explicação, refere, tem que ver com o facto de estas plataformas internacionais disporem da opção de descontos com cartões, o que não ocorre com hotéis em Angola. “Precisamos de ligar para que fique confirmado ou ir até as instalações dos hotéis. Caso contrário, não conseguimos a reserva”, explica.