Secretário de Estado para o Planeamento

Importação de frango absorve mais de 145 milhões de dólares

24 Sep. 2021 Economia / Política

A importação de carne de frango absorveu cerca de 145 milhões de dólares nos primeiros oito meses do ano, revelou o secretário de Estado para o Planeamento, considerando que, caso empregue no país, esse capital representa uma oportunidade para a constituição de negócios e a manutenção das reservas cambiais ao serviço da economia nacional.

Importação de frango absorve mais de 145 milhões de dólares

Milton Reis, que discursava na abertura da 1ª Conferência Nacional sobre Oportunidades de Negócios para Jovens no Sector da Avicultura, realçou que o sucesso de qualquer negócio também passa pela oportunidade que o ramo oferece, razão pela qual os altos valores em divisas que o país desperdiça na aquisição de frango no exterior, deve servir de alerta, não só para o Executivo, mas também para quem participa no processo de redução das importações.

O secretário de Estado reiterou o compromisso com a execução de projectos e parcerias de programas com impacto no empoderamento económico da juventude e notou que a economia nacional se encontra em fase de viragem, com perspectiva de alteração expressiva da actual estrutura, em que se persegue a redução da dependência do sector petrolífero, conferindo aos jovens a opção de ocuparem um papel relevante na actividade produtiva.

Promovido pelo Instituto Angolano da Juventude(IAJ) e a Associação Angolana de Jovens Produtores (AAJP), o encontro teve como finalidade  promover a participação dos jovens nos processos produtivos, criar oportunidades de negócios no ramo da avicultura, despertar o interesse dos empreendedores pelo sector agro-alimentar e desenvolver as competências técnicas dos  produtores. 

A realização da Conferência, na óptica do secretário de Estado, deve ser vista como um mecanismo eficaz para motivar iniciativas benéficas ao mercado, de modo que o Ministério da Economia e Planeamento possa garantir o auxílio necessário para a "criação de negócios bem estruturados, sustentáveis e o fomento de cooperativas  produtivas juvenis”, em particular nas zonas rurais.

 

X