APP VE
Depois de ter exportado um milhão de litros há um ano

Luandina reforça presença na China

BEBIDAS. Cerveja foi o único produto nacional exposto na CIIE 2019 e estabeleceu acordo para a exportação de 2,9 milhões de litros, estando em negociação outras possíveis parcerias.

Luandina reforça presença na China

A Sodiba, produtora da cerveja Luandina, assinou um acordo para exportar anualmente 240 contentores de cerveja para a cidade chinesa de Xuzhou e está a negociar com potenciais parceiros para ter a cerveja a ser distribuída em outras cidades da China.

A parceria estabeleceu-se durante a China International Import Expo (CIIE), evento que, segundo o CEO da Sodiba, Luís Correia, representou a entrada oficial da Luandina e consequentemente da primeira cerveja angolana na China. A entrada ‘não-oficial’ da cerveja angolana no mercado chinês ocorreu, há cerca de um ano, quando a Sodiba exportou um milhão de litros distribuidos nas cidades de Shanghai, Nanjing, Fuzhou e Xiamen. 

Os 240 contentores, agora contratados, equivalem a 2,9 milhões de litros e a receita bruta estimada é de cerca de três milhões de dólares. A “estratégia para o futuro próximo” da empresa passa por ter a Luandina a ser distribuída em todas as cidades chinesas, aproveitando-se da iniciativa chinesa “one belt one road” que isenta os produtos africanos de direitos de importação.

“Queremos ter um distribuidor em cada província”, salientou Luís Correia, acrescentando que também têm estado a negociar com as plataformas online Alibaba, JD.com e Sunning.

“A exportação e futura internacionalização são projectos  de médio prazo em que temos de nos empenhar e abraçar desde já. Não basta a qualidade da Luandina e as condições favoráveis em termos de fiscalidade com a isenção de direitos já mencionados. É necessário consolidarmos esta presença na China com uma campanha de comunicação que divulgue e promova a nossa cerveja e que apoie os nossos distribuidores no escoamento com uma forte aceitação dos consumidores neste mercado”, refere.

Além da China, a Luandina tem sido exportada para Portugal, África do Sul, Namíbia, RDC e Congo Brazaville, assim como Burquina Faso e São Tomé e Príncipe. “Estamos, neste momento, a trabalhar Quénia, Tanzânia, Uganda e Zambia”, garantiu Luís Correia, para quem o processo para a exportação em Angola “melhorou face ao passado” mas continua caro. “Por exemplo, custos de saída de um contentor em Luanda são duas vezes mais que o custo de transporte para a China. Só a taxa de trafego no porto são 280 dólares”, especifica.

A fábrica da Sociedade de Distribuição de Bebidas de Angola (Sodiba) foi inaugurada em Novembro de 2017 com uma área total de 40 hectares e capacidade de produção de 144 milhões de litros e de enchimento de 230 milhões de litros. Além da Luandina, que foi o único produto exposto na China International Import Expo (CIIE) que decorreu entre 5 e 10 de Novembro 2019, a Sodiba produz, sob contrato de licença e representação, as marcas sagres regular, preta e bohemia.