Anúncio de subscrição
revela um relatório

Pandemia gerou um multimilionário a cada 30 horas

23 May. 2022 Mundo

A pandemia de Covid-19 gerou um multimilionário a cada 30 horas. Agora, face à escalada dos custos dos bens essenciais, quase um milhão de pessoas podem cair em situação de pobreza extrema em 2022 a um ritmo quase idêntico, revela um relatório publicado esta segunda-feira pela Oxfam.

Pandemia gerou um multimilionário a cada 30 horas

O relatório “Lucrar com a dor” é publicado numa altura em que, após um hiato de dois anos, decorre o Fórum Económico Mundial em Davos até 26 de maio, naquela que deverá ser a primeira grande reunião presencial de líderes políticos, económicos e empresariais desde o início da pandemia.

Com o objectivo de debater o rumo do crescimento económico a nível global, o encontro será marcado, no entanto, pela presença de vários multimilionários dos sectores da energia, farmácia e alimentação que registaram fortes aumentos das suas fortunas. “A pandemia e agora os aumentos acentuados dos preços dos alimentos e da energia têm sido, dito de forma simples, uma bonança para eles“, afirma a directora executiva da Oxfam International, Gabriela Bucher, citada no relatório.

 Um dos dados que o relatório revela é que 573 pessoas se tornaram multimilionárias durante a pandemia, na proporção de um a cada 30 horas. No espectro contrário, estima que mais 263 milhões de pessoas caiam em situação de pobreza extrema este ano, a uma taxa de um milhão de pessoas a cada 33 horas.

A riqueza dos multimilionários aumentou mais nos primeiros dois anos da pandemia de Covid-19 do que nos últimos 23 anos, equivalendo, na sua totalidade, a 13,9% do PIB global – um aumento de cerca de três vezes face a 2000, ano em que representava 4,4% do PIB global. “A fortuna dos multimilionários não aumentou porque agora são mais espertos ou trabalham mais arduamente. Os trabalhadores estão a trabalhar mais, por salários mais baixos e em piores condições. Os super-ricos manipularam o sistema com impunidade durante décadas e estão agora a colher os benefícios”, considera Bucher.

Segundo a responsável da Oxfam International, a “quantidade chocante” da riqueza conseguida pelos multimilionários é resultado de processos de privatizações e da criação de monopólios empresariais, bem como de legislação e direitos dos trabalhadores deficitários, ao mesmo tempo que o dinheiro era armazenado em paraísos fiscais “com a cumplicidade dos governos”.

                                                                                                                            Eco