Banco BAI
Amin Bagthariya promete esclarecimentos adicionais em comunicado

PCA do Angomart e Nossa Casa admite venda de produtos expirados

COMÉRCIO. Essa é a segunda vez em um ano que os supermercados do Noble Group são acusados de vender produtos fora do prazo de consumo. A primeira vez foi em Janeiro.

PCA do Angomart e Nossa Casa admite venda de produtos expirados

 

O presidente do Noble Group, gestor dos supermercados Angomart e Nossa Casa, confirmou ao VALOR a existência de produtos expirados nos dois estabelecimentos, como denunciou, na semana passada, a Associação Angolana de Ajuda ao Consumidor (AAAC).

Amin Bagthariya garante, no entanto, já ter sido retirada toda a mercadoria com o rótulo vencido, embora se tenha recusado a explicar a quantidade de produtos vendidos nessa condição. O gestor não explicou também as razões de a mercadoria expirada ter permanecido nas prateleiras, prometendo esclarecimentos para breve, em comunicado.

Enquanto isso, a AAAC  lembra que os supermercados do Noble Group são reincidentes na venda de produtos vencidos.  Em 2019, é a segunda vez, depois de, em Janeiro, o Angomart e a Nossa Casa terem sido acusados de vender rebuçados expirados da marca ‘Mint Joy’.

Desta vez, estão em causa rebuçados de marca ‘Lollipop do Twister da Fruta’, cuja data de validade da caixa se difere da data inscrita no rótulo do produto.

A AAAC, que assegura ter denunciado o facto por escrito ao Ministério do Comércio, afirma ter dificuldades em perceber as razões que levam o Ministério e o Inadec a “predisporem-se à letargia”, sempre que surgem denúncias que envolvam as marcas Angomart e Nossa Casa.

Diógenes de Oliveira, director-geral do Inadec, nega, no entanto, ignorar as irregularidades do Noble Group, sublinhando que a instituição não recebeu nenhum documento informando sobre a existência de produtos expirados nos referidos estabelecimentos. E recorda ter o Inadec suspenso, há três semanas, uma loja Angomart, em Benguela, por especulação de preços.

Pedro Bala, secretário-geral e porta-voz da AAAC, assegura, no entanto, ter provas do ofício assinado pelo ministro Jofre Van-dunem, em resposta à denúncia.

17 ANOS EM ANGOLA

No país desde 2002, o Noble Group possui 70 lojas Angomart e Nossa Casa, além de estar presente na agricultura e na indústria. Em 17 anos, investiu pouco mais de 200 milhões de dólares e prevê investir mais 50 a 60 milhões de dólares em 2020. Até ao final do ano, espera inaugurar mais cinco lojas Angomart e 10 lojas Nossa Casa. Ao todo, o grupo emprega 6.400 colaboradores, seis mil dos quais angolanos. Na primeira metade de 2010, prevê empregar mais mil.