EMPRESA HOLANDESA QUE OPERA NOS PETRÓLEOS

Prestadora de serviço abandona Angola

10 Nov. 2020 Empresas & Negócios
Prestadora de serviço abandona Angola

O prestador de serviços offshore holandês Heerema anunciou, na semana passada, o encerramento de duas joint ventures em Angola, justificando a decisão com as “más condições de mercado” e o baixo preço do petróleo que tornaram as suas operações, no país “economicamente inviáveis”.

A Heerema tem presença em Angola através das empresas da Heerema Porto Amboim (HPA) e da Heerema Marine - Sociedade Angolana de Transportes (HMT). A companhia holandesa decidiu vender as acções da Heerema na HPA para o parceiro da joint venture, enquanto a HMT está a ser liquidada.“Depois de explorar possibilidades para o futuro em Angola, a Heerema concluiu que o encerramento da Heerema Porto Amboim (HPA) e da Heerema Marine - Sociedade Angolana de Transportes (HMT) é a opção adequada,” afirmou a Heerema Marine Contractors em comunicado. E acrescentou que “a decisão de cessar as operações em Angola é difícil e surge em resposta a desafios de longo prazo e a uma perspectiva limitada de trabalho no futuro”.

“Lamentamos profundamente as perdas de empregos que resultarão desta decisão e apoiaremos o nosso pessoal durante a transição ”, acrescenta.

A Heerema Porto Amboim (HPA) é uma joint venture entre a Heerema Marine Contractors (HMC) e a Cenbir, que oferece serviços submarinos offshore para a indústria de petróleo e gás e energia em Angola. O pátio de fabricação da HPA está localizado em Porto Amboim, Kwanza-Sul, Angola, e é especializada na construção de estruturas submarinas. Já a HMT oferece serviços de transporte marítimo offshore para a indústria de petróleo e gás e opera uma barcaça de carga e um rebocador.

X