CNE
vão ser contratadas 300 pessoas para a área comercial

Refriango investe 28 milhões de euros em parceria comercial com Coca-Cola

25 Jun. 2022 Empresas & Negócios

A Refriango formalizou hoje a parceria com a The Coca-Cola Company através da qual vai produzir, engarrafar e distribuir os produtos da multinacional americana em Angola, num investimento de 28 milhões de euros e que vai gerar 300 empregos.

 Refriango investe 28 milhões de euros em parceria comercial com Coca-Cola

Em declarações aos jornalistas, a margem do evento em que foi formalizada a parceira, hoje, no complexo industrial do Kikuxi (Luanda), o presidente executivo da Refriango, Diogo Caldas, sublinhou que este é “um novo ciclo” para a empresa e assegurou que as bebidas vão ser produzidas com a máxima qualidade.

“A Refriango conta com um dos melhores laboratórios do país e que assegura a qualidade que já era exigida nos produtos que temos. Na auditoria que a Coca-Cola fez à Refriango este foi um dos pontos positivos” para a empresa que vai substituir a Castel como engarrafador oficial em Angola.

Além do investimento na área de marketing, para reforçar a notoriedade das marcas no mercado, vão ser contratadas 300 pessoas para a área comercial e foram feitas alterações na linha de enchimento para produzir as bebidas em lata, PET (plástico) e garrafa, inteiramente destinadas ao mercado angolano, disse Diogo Caldas.

No âmbito deste acordo, a Refriango passou a assumir a preparação, embalagem, distribuição e comercialização da Coca-Cola, Fanta, Sprite, Minute Maid e Schweppes, produtos das marcas de The Coca-Cola Company em Angola, já a partir da próxima semana.

Em termos de litros, Diogo Caldas estima que a produção vai aumentar entre 20% e 30% em relação ao que se fabricava na Refriango, e salientou que a parceria envolve também, além da área industrial, projectos de responsabilidade social e na área da sustentabilidade.

As expectativas de crescimento do negócio continuou, são “positivas” e o líder da Refriango admite um crescimento na ordem dos dois dígitos até ao final do ano.

                                                                                                            Lusa