Banco BAI
EM MEIO À PANDEMIA

Startups de entregas entre as mais procuradas

10 Jun. 2020 (In) Formalizando

OPORTUNIDADES. Empresas registaram crescimento de mais de até 70% nas solicitações, com as zonas urbanas a dominarem o gráfico.

Startups de entregas entre as mais procuradas

Pequenas empresas do ramo de entregas admitem aumentos na procura nos últimos meses, face à crise e às restrições impostas pela pandemia da covid-19.

A startup Sócia, por exemplo, registou, na sua plataforma digital, aumentos na ordem dos 70% para cerca de 100 encomendas diárias, com as entregas a concentram-se nas zonas urbanas de Luanda. Augusto Firmino, CEO da empresa, considera explorar, entretanto, as áreas próximas do centro, de modo a responder “às reiteradas solicitações”.

Henrique Mbidingani, CEO de outra startup, a Garçon, confirma que, diariamente, chegam a receber perto de 300 solicitações, dois terços das quais a partir de pontos urbanos da capital. “A procura aumentou consideravelmente, o trabalho triplicou. Todos os dias, o número tende a subir”, explica, admitindo “alguma rentabilidade.”

Com as restrições ainda registadas nos centros comerciais e restaurantes, muitas empresas têm recorrido às plataformas de serviço de entregas para facilitar a compra dos produtos. Henrique Mbidingani exemplifica que, num universo de 10 propostas, a sua plataforma chega a estabelecer um mínimo de cinco contratos durante a semana. “Nesta altura, somos a solução para muitas empresas, inclusive grandes, porque as pessoas sentem mais conforto em receber o que desejam em casa, sem precisar de enfrentar o vírus”, justifica.

O mesmo ocorre com a Sócia. A empresa celebrou, ultimamente, cinco novas parcerias, sobretudo, para a entrega de produtos alimentares. Augusto Firmino considera tratar-se de mais “uma acção social.” Todavia, admite que as novas parcerias têm dado resultados positivos e permitem o aumento da força de trabalho.

 

 

X