Produção de máscaras

Empresa quer restrições na importação

05 May. 2021 Empresas & Negócios

Influenciada pela pandemia da covid-19, a empresa Huiladesign, antes dedicada à produção de imagem corporativa e impressão digital de grandes formatos, começou a operar desde o final do ano passado na produção de máscaras médicas, com um investimento privado de 500 mil dólares. E pede agora ao Governo medidas de protecção da indústria nacional.

Empresa quer restrições na importação

Ricardo Ágoas, CEO da empresa, garante que o produto obedece aos padrões internacionais, o que desperta compradores não só da Huíla, mas também de grande parte dos hospitais privados em Luanda. 

“A produção de máscaras é realizada de acordo com o ritmo da procura. Não estamos, sequer, em capacidade total. Temos, para entrega imediata, cerca de 18 mil caixas nos armazéns de Lubango e de Luanda. Pela amostra de nove meses de produção, as nossas previsões são entre 700 mil e um milhão de máscaras por mês”, augura.

A comercializar a caixa de máscara ao valor de 6 mil kwanzas, chegando a reduzir para 3.750 nas grandes aquisições, a empresa vendeu até agora 500 mil máscaras, números que, para o empresário, não representam grandes ganhos financeiros. “Ainda estamos muito abaixo das nossas expectativas, apesar de não termos 12 meses de fabrico. Encontramo-nos muito distantes de recuperar o investimento, mas estamos atentos às mutações do mercado e oportunidades”, refere, apontando a meta de produção de um milhão de máscaras por mês entre os objectivos imediatos. 

Com o aumento da produção, Ricardo Ágoas espera que o Governo incentive os produtores, não só em termos fiscais, mas também na promoção do consumo, como gesto de valorização da oferta nacional. “É urgente proteger o fabrico nacional de máscaras e isso implica que as entidades competentes limitem as importações; implica a preferência pelas máscaras nacionais por parte do poder central, como mensagem clara e inequívoca de protecção ao fabrico nacional”, defende, descartando a exportação, face ao interesse manifestado por alguns países vizinhos. Com a produção a ser assegurada completamente por matéria-prima importada, a Huiladesign conta com uma força de trabalho de 32 pessoas.