CARTA A CONTESTAR NOVO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Sindicato da TAAG desconhece, mas concorda com o conteúdo

27 Oct. 2021 Empresas & Negócios
Sindicato da TAAG desconhece, mas concorda com o conteúdo
D.R

O Sindicato dos Trabalhadores da Taag diz não ter participado nem saber da autoria da carta que circula nas redes sociais a contestar a eleição da nova administração da transportadora, mas assegura que concorda com alguns pontos indicados no documento direccionado à Presidência da República.

Ao Valor Económico o coordenador do sindicato, Gomes Morais de Castro, afirma que, apesar de os sindicalistas não saberem a origem da carta, concordam com o seu conteúdo por estar alinhado com o clima que se vive na empresa.

Na carta, os trabalhadores manifestam-se “tristes” com o comunicado sobre a Assembleia-Geral Universal de Accionistas do Conselho, que indicou o novo conselho de administração da empresa. Questionam sobre quem representa os trabalhadores na Assembleia e acusam o ministro Ricardo de Abreu de ‘‘usar a imprensa para enganar o público que seleccionou uma empresa de caça talentos para a eleição do novo conselho de administração’’.

Entre outras questões, solicitam esclarecimento sobre a motivação da recondução do anterior PCE Rui Carreira e acusam Ricardo d’Abreu de nepotismo por, supostamente, ter nomeado o seu cunhado para presidente da comissão executiva, sendo visto como um indivíduo inexperiente no sector da aviação.

‘‘Consta dos registos que Eduardo Fairen Soria já retirou da Taag, sem trabalho nenhum, mais de um milhão e meio de dólares com falsos trabalhos de consultoria que nunca fez, com a empresa Blackbird’’, acusam.        

O coordenador do sindicato, que se recusa a falar da nova direcção por não a conhecer, admite que a mesma terá de trabalhar ‘muito’ para alcançar as metas traçadas e reitera o apelo ao Estado para que aposte na reestruturação da empresa com seriedade.

Foram, entre outros, nomeados Eduardo Fairen Soria, administrador executivo e presidente da comissão executiva, Custódia Gabriela Bastos, Adelaide Isabel de Sousa, Steve Taverney Azevedo e Lisa Mota Pinto como administradores executivos.

TRABALHADORES QUESTIONAM MINISTÉRIO

Segundo a estrutura orgânica da Taag, a assembleia de accionistas é composta pelo Igape, Enna e o fundo social dos trabalhadores dos transportes. Os trabalhadores dizem não conhecer os seus representantes na assembleia dos accionistas e o coordenador sindical garante que já tentaram, em conjunto com outros responsáveis sindicais das outras empresas dostransportes, procurar saber do Ministério quem os representa, mas nunca obtiveram resposta.

X