VDS
FALTAM FERROS-VELHOS

Sucateiros precisam de um a seis meses para fechar um contentor

10 Nov. 2021 (In) Formalizando
Sucateiros precisam de um a seis meses para fechar um contentor

Um a dois meses é, em média, o tempo que normalmente os sucateiros ou catadores de sucatas, precisam para encherem um contentor e venderem o material às fábricas de ferro.

Os cálculos pertencem aos comerciantes habituados a negociar as sucatas. Um deles, Manuel Francisco António, está no negócio há quatro anos. Opera na Avenida Hoji ya Henda (ex Avenida Brasil), comprando variedade de sucatas. Paga, por exemplo, 200 kwanzas pelo quilo de lata velha, 300 pelo de alumínio e mil kwanzas pelo quilo de cobre. Pelas sucatas de motores maiores de ar condicionado paga 500 kwanzas e o mais pequeno compra por 300 kwanzas.

Por sua vez, Dumbouya Mamoudou, que opera no bairro da Boavista paga ligeiramente menos, cerca de 50 kwanzas pelo quilo, independentemente do tipo. Fernando José entrou incentivado a convite de um cidadão senegalês, em 2011. Os dois calcularam que iriam precisar de, pelo menos, meses e seis, dependendo da procura, para conseguirem lotar um contentor e, assim, estarem em condições de fornecer às fábricas de ferros e outras como a Fabrimetal e Ada-Aço. “Nem sempre é fácil adquirir, por vezes falta. Nos momentos menos bons, podemos mesmo levar seis meses para fechar um contentor”, explica Fernando José. Os dois adquirem o material a diversas pessoas em vários locais.

A Fabrimental é um dos destinos do material. Recentemente, em entrevista ao Valor Economico, Luís Diogo, director da fábrica, revelou que paga 110 mil kwanzas por tonelada, mas, em 2019/2020, pagava apenas 35 mil kwanzas.

“O objectivo é levar os fornecedores à porta, já carregados de material nos camiões e depois é feita uma avaliação da mercadoria, daí é descarregada a matéria-prima, e este material é pago a 110 mil kwanzas a tonelada. Esta actividade tem um efeito muito grande na economia, gera rendimento aos fornecedores, os fornecedores geram rendimento as outras pessoas que trabalham para eles”.

Há jovens e crianças, com idade entre os oito a 25 anos, a trabalhar como catadores de sucatas de forma a ajudarem as suas famílias.