CNE
OPERADORES APONTAM AS ORIGENS DO PROBLEMA

Escassez de liquidez condiciona acesso dos bancos às divisas do Tesouro

01 Dec. 2021 V E Empresas & Negócios

BANCA. Tendência crescente de indisponibilidade dos bancos comerciais força BNA a adquirir 100 milhões de dólares do Tesouro. Bancos justificam-se com falta de liquidez e apontam recolha da família do kwanza 2012 entre as razões.   

Escassez de liquidez condiciona acesso  dos bancos às divisas  do Tesouro
D.R

A escassez de liquidez em moeda nacional é a única razão para que os bancos não adquiram as divisas disponíveis no mercado, segundo gestores bancários ouvidos pelo Valor Económico, na sequência do comunicado do Banco Nacional de Angola (BNA) de que se viu forçado a comprar 100 milhões de dólares por falta de disponibilidade dos bancos comerciais.

“Tendo em conta o volume crescente de oferta de moeda estrangeira não adquirida por parte dos bancos comerciais, o Banco Nacional de Angola procedeu hoje, dia 26 de Novembro, à compra de divisas ao Tesouro Nacional no montante de USD 100 milhões, à taxa de USD/AOA 570,000”, anunciou o banco central.

Para pelo menos três CEO consultados por este jornal, não há dúvidas quanto à origem do problema. “Os bancos não têm liquidez em moeda nacional por isso é que não estão a comprar. A economia está parada, as empresas não vendem e, por isso, não fazem depósitos”, detalha o CEO de uma das cinco maiores instituições bancárias do país.

A recolha da família do kwanza de 2012 e a reclassificação dos depósitos das empresas e instituições públicas são as outras razões apontadas para a falta de liquidez.

“Se, por exemplo, levarmos depósitos de 100 milhões, dos quais 40 milhões em notas da antiga família, esta quantia já não saí do BNA. Portanto, o banco já perde quase metade da sua liquidez”, explica outro CEO de um dos grandes bancos.

Sobre a reclassificação dos depósitos das empresas públicas, que passam para a esfera do BNA, outro executivo nota a importância dessas instituições na carteira dos bancos. “Há casos em que só o movimento de uma empresa pública representa a perda de milhões em liquidez. Portanto, esta situação (dos bancos não adquirirem divisas) não era nada que não era esperado”, reforça, lembrando que muito recentemente “o Tesouro nacional colocou à disponibilidade dos bancos cerca de 500 milhões de dólares, mas o conjunto dos bancos todos só conseguiu comprar perto de cem milhões de dólares”.