12 BENEFICIÁRIOS ESTE ANO

Fau-me disponibiliza 56 milhões kz para apoiar empreendedores

COMÉRCIO. Pequenos empreendedores com dificuldade de implementar ideias ou de manter o negócio estão a receber apoio financeiro. Empresa quer massificar o empreendedorismo.

Fau-me disponibiliza 56 milhões kz para apoiar empreendedores

A empresa angolana Fau-me está a apoiar jovens empreendedores com ideias de negócio ou que estejam descapitalizados em resultado da pandemia. Numa primeira fase, o apoio é destinado a barbearias e hamburguerias, num total de 56 milhões de kwanzas a serem canalizados também noutras actividades empreendedoras. 

A previsão é conceder investimento acima de 12 milhões de kwanzas a um total de oito barbearias, até ao final do ano. Do número, quatro, localizadas em Luanda, já beneficiaram. Trata-se de jovens que não dispunham de possibilidade nem local para o exercício da actividade.

Quanto a hamburguerias, segundo Aristides Lemba, fundador e CEO da Fau-me, das propostas recebidas 12, que se encontravam descapitalizadas, foram seleccionadas e beneficiarão de investimento.

“Muitos empreendedores estão descapitalizados, achamos que, nesta altura, precisam de injecção de dinheiro”, observa, admitindo tratar-se de “investimentos de alto risco”, pelo que “é avaliada a localização e outros factores, como o acesso à água e energia”.

O investimento funciona como franquia, no caso, a empresa beneficia de 40% do rendimento caso o empreendedor beneficiário não tenha espaço físico. Em situação contrária 25% ou mesmo 15%, se os resultados apresentados em 12 meses forem considerados satisfatórios.

Além da componente investimento, a empresa ocupa-se do marketing, contabilidade e gestão de recursos humanos do empreendimento.

A par de Luanda, a iniciativa vai estender-se para Benguela e Cabinda, onde empreendedores na informalidade demonstraram interesse.

Para o próximo ano, Aristides Lemba tenciona disponibilizar 100 milhões de kwanzas a jovens empreendedores “com projectos viáveis ou negócio em dificuldade financeira”.

Fundada em 2015, a Fau-me conta com três sócios angolanos e tornou-se numa empresa aberta em 2018. Nos últimos dois anos, investiu mais de 50 milhões de kwanzas em 15 startups com actuação em diversos ramos.

X