Anúncio de subscrição
RELATÓRIO E CONTAS De 2021 

Lucros da ENSA recuaram 64%

20 Apr. 2022 Mercado & Finanças

GOVERNANÇA. Auditor aprova contas, mantendo reservas “já antigas”, as quais PCA da seguradora remete para perdas futuras. Só de impostos Ensa pagou mais de 3 mil milhões de kwanzas.

 

Lucros da ENSA recuaram 64%

ENSA terminou o exercício de 2021 com resultado positivo que, entretanto, recuou cerca de 64,2% face a 2020, passando de 17.673 para 6.319 milhões de kwanzas.

A queda é explicada com o aumento de 74,2% do resultado cedido ao resseguro, que passou de 12.597, em 2020, para 21.945 milhões, em 2021, representando, 14% e 22% dos prémios vendidos, respectivamente. 

No entanto, o presidente do conselho de administração da seguradora, defende não existir “uma relação directa entre o resseguro e este resultado”, lembrando que o ano passado a empresa avisou que os 17 mil milhões era um resultado extraordinário, resultante do processo de saneamento da empresa. Acrescentou que o resultado de 2021 “é mais normal da actividade”.

Também concorreu consideravelmente para a queda dos lucros os impostos pagos que passaram de 258 milhões para 3.020 milhões de kwanzas.

Contrariamente, segundo a empresa, os resultados positivos deveram-se ao aumento dos prémios brutos, à diminuição da despesa, ao aumento do activo e à redução da taxa da sinistralidade, que recuou 15 pontos percentuais para os 40%.

Os seguros de saúde, de petroquímica, de acidentes de trabalho e automóvel representam 89,3% do total dos prémios brutos, que ascenderam para os 97,8 mil milhões de kwanzas. Em termos parciais, o seguro petroquímico atingiu 33 mil milhões representando um aumento de 12,5% comparativamente ao ano anterior. O de saúde subiu 1,2 mil milhões de kwanzas (14,1%) relativamente ao período transacto, mantendo o peso de 39% no total de prémios brutos. Já o seguro  automóvel registou um crescimento de 4,8 mil de kwanzas (36,1%), enquanto o de acidentes de trabalho manteve o peso de 11% na estrutura dos prémios brutos emitidos. Noutra rubrica, o volume de indemnizações cifrou-se em 39,1 mil milhões de kwanzas, uma redução de 15% face ao período homólogo. 

Individualmente, as indemnizações no seguro petroquímico diminuíram 46,3%;  as de saúde aumentaram mais de 10 pontos percentuais para os 68,2%, enquanto as indemnizações nos seguros de acidentes de trabalho e automóvel registaram uma redução de 8,3% e 56,7%, respectivamente.

Auditor com reservas 

 Apesar do resultado positivo, as contas da seguradora continuam sob ‘suspeita’ dos auditores que aprovaram o relatório e contas com uma reserva que se mantém desde o ano passado. 

A reserva está relacionada com contas de terceiros, como explicou Carlos Duarte, PCA da seguradora, que garante, no entanto, estarem “bem supervisionadas”. Ainda assim, admite que a resolução destas questões, “já antigas”, poderá levar tempo. “Não nos preocupa no sentido que se vão traduzir em perdas futuras, o mal está em conseguir estancar”, refere.