Canal diz-se vítima de injustiça

Zap Viva culpa ministério por irregularidades

21 Apr. 2021 Economia / Política

A Zap Viva considera a suspensão decretada pelo Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MTTICS) de “injusta”, pois foi “impedida” de cumprir todas as formalidades pelo órgão regulador.

Zap Viva culpa ministério por irregularidades

As reuniões e entrega de documentos feitas ontem ao MTTICS e a Direcção Nacional de Informação e Comunicação Institucional (DNICI) não impossibilitaram o ‘corte’ de emissão do canal Zap Viva. Diferente da primeira nota, o canal explica, numa nova comunicação, que nos últimos anos tentou resolver as irregularidades diante do regulador, mas não obteve qualquer êxito. “Ao longo de pelo menos os últimos três anos, a ZAP fez as mais diversas diligências junto do órgão competente – a DNICI – com o objectivo de dar total cumprimento aos procedimentos legais e regulamentares aplicáveis à sua actividade de produção de conteúdos”, explica.

O canal afecto à empresária Isabel dos Santos considera-se uma vítima "injustificável" e espera que nas próximas horas seja corrigido o erro.

DSTV cumpre instrução do MTTICS

A MultiChoice Angola refere, em comunicado emitido na manhã desta quarta-feira, que suspendeu temporariamente a emissão dos canais Vida TV e Record África, em obediência à orientação do Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação e Comunicação Social.

 

 

X