Anúncio de subscrição
Carlos Rosado  de Carvalho

Carlos Rosado de Carvalho

Economista

Quando uma economia cresce abaixo da população, o País empobrece, o desemprego aumenta e cada vez mais crianças ficam fora do sistema de ensino. Como as previsões de crescimento não são animadoras, vai ser mesmo preciso fazer menos filhos para equilibrar a balança. Só não percebe quem não quer.

 

A descida da dívida em percentagem do PIB no último ano deveu-se à valorização do kwanza, que reduziu o stock da dívida em moeda estrangeira quando convertida para kwanzas, e ao aumento do preço do petróleo, que puxou o PIB para cima. Como o kwanza valorizou graças à subida do petróleo, contas feitas, foi São Petróleo que fez o “milagre” da descida da dívida.

 

As diferenças na comunicação das duas instituições são visíveis na cobertura que os media angolanos fazem dos financiamentos do FMI e BM, muito mais exaustiva e detalhada no caso do Fundo. É pena, porque quanto melhor a informação, maior a pressão para o Governo fazer as reformas que precisam de ser feitas.

 

Segundo se depreende das palavras da vice-presidente do MPLA, numa actividade da OMA, foi o seu chefe nas vestes de Presidente da República e Titular do Poder Executivo que, ouvindo o clamor dos jovens, orientou o governador do Banco Nacional de Angola (BNA) a criar condições para os bancos comerciais concederem créditos bonificados a todos os angolanos para satisfazerem o sonho da casa própria.

 

Os subsídios aos combustíveis terão custado entre 1,144 e 1,275 biliões de kwanzas em 2021, mas na previsão de execução orçamental o Governo só admitiu que gastou 209,8 mil milhões de kwanzas. Isto é, desorçamentou, ou não incluiu no orçamento, à volta de um bilião de kwanzas, números redondos, o equivalente ao orçamento da Educação.