Competências necessárias na ‘indústria 4.0’

25 Aug. 2020 Valor Económico Gestão

TECNOLOGIAS.  A expressão usada recentemente como mote de workshop do MINCO refere-se à convencionada quarta revolução industrial, que se foca na automatização e autonomia de sistemas computorizados. Embora ainda algo distante da realidade nacional, num mundo globalizado, vale saber que aptidões valorizar nesse contexto mais ou menos próximo.

                                                                                               

Competências necessárias  na ‘indústria 4.0’

Do mesmo modo que a primeira revolução industrial não aconteceu em simultâneo em todo o mundo, mas não deixou de dar o impulso para uma mudança de paradigma de produção a nível mundial, o facto de a nossa indústria, também ela movida a diferentes velocidades, ainda estar aquém da automatização computorizada de que trata a indústria 4.0, não significa que a adaptação ao que se passa no resto do mundo não seja urgente.

Em termos de capital humano, as exigências num futuro automatizado e com recurso à inteligência artificial (IA) vão mudar drasticamente. Serão necessários menos controladores de operações à medida que a informação vai passar a ser recolhida por sensores. A necessidade de gestores intermédios vai diminuir igualmente, face à capacidade dos computadores de cruzar vastas quantidades de informações recolhidas, facilitando o processo decisório. Recentemente uma mineira, fazendo recurso a informação recolhida por sensores colocados em equipamento de profundidade, pode antecipar e corrigir uma perigosa descida acentuada dos níveis de oxigénio, que poderia custar milhões em paralisações e até vidas humanas.

Gestores de stocks, e até apoio ao cliente com o envio de facturação e acompanhamento de encomendas, poderão todos passar à história à medida que a IA vai tomando o espaço outrora obrigatoriamente desempenhado por humanos.

O recurso à robotização para tarefas pesadas e repetitivas, a optimização dos sistemas de logística e de gestão de cadeias de produção que se vai tornando cada vez mais acessível às empresas, a introdução de técnicas de produção inovadoras como a impressão 3D que dispensam vários estágios de produção e encurtam cadeias, bem como a conectividade que permite o controlo da produção e da gestão à distância são factores incontornáveis e que atestam o potencial e o advento da indústria 4.0. Adapte a sua empresa.

Que competências procurar na sua força de trabalho?

Competências humanas

Num ambiente mais automatizado dar valor às competências humanas é essencial para um ambiente são e adaptado a suprir áreas em que as máquinas não nos podem substituir. As competências humanas incluem para alem da inteligência contextual, a capacidade de levar em conta mais do que métricas em relações interpessoais, e a vital criatividade. A inteligência emocional deve ser valorizada bem como a integridade e a empatia, que não são o forte da IA.

Saúde mental no trabalho

As pressões e o stress de dar resposta a uma realidade em constante mutação pode diminuir o rendimento da sua equipa core, a que não se pode substituir por máquinas. Faça recurso a profissionais de saúde mental para acompanhar a sua equipa.

Transformadores

O conhecimento necessário para adaptar a sua indústria a uma realidade tecnológica, capaz de identificar as áreas em que a automatização vai fazer disparar a eficiência da empresa, já é valorizado e vai continuar a ser à medida que cada vez mais indústrias vão dando o pulo para a quarta revolução.  

Programadores

Uma indústria automatizada obriga a não passar sem programadores para os equipamentos automatizados e sem colectores e processadores de informação gerada por computadores. Num mundo cada vez mais tecnológico, os profissionais capazes de traduzir a linguagem da IA para a corrente, serão cada vez mais valorizados.

 

X